Sites Grátis no Comunidades.net
Translate this Page
Votação
Qual sua nota para este site?
Ótimo
Bom
Regular
Ruím
Ver Resultados

Rating: 2.9/5 (5010 votos)




ONLINE
1





Partilhe este Site...



Últimas  Notícias


 

Seita ou Religião?

 

 


 

Valdir Camilo da Silva, Testemunha de Jeová, palestra sobre "Depressão". Assista aos vídeos:

Vídeo 1


 Vídeo 2

Vídeo 3

Último vídeo



 

Clique

site oficial das Testemunhas de Jeová está de cara nova

Juntamos nossos três sites oficiais num sóLeia mais sobre o novo formato. 


 

 foto

Clique↓
Um novo local para a sede mundial das Testemunhas de Jeová

Desde 1909, a sede está localizada em Brooklyn, Nova York. Por que estamos mudando para o norte do Estado de Nova York?


 

Clique↓

slogan


 

Clique ↓

slogan

 


 

DÚVIDAS?↓

contato

 

 


CLIQUE↓

Bíblia online

 

 


 

CLIQUE↓

ROLOS

 Matéria pronta! Sorriso Clique na imagem!

 


Como anda os Líderes evangélicos? Confira o vídeo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

Últimas Notícias

Coréia do Sul

Em 25 de outubro de 2012, o Comitê de Direitos Humanos das Nações Unidas decidiu que a Coreia do Sul tem a obrigação . . .leia mais


 

Siclone

Em dezembro de 2012, o ciclone Evan causou destruição em Fiji e Samoa. Os escritórios das Testemunhas de Jeová nesses países estão coordenando a ajuda humanitária. Leia mais


 

Construções

Na Austrália, as Testemunhas de Jeová foram elogiadas por causa da excelente segurança em suas construções. Saiba mais


 

incêndios

Incêndios na Tasmânia

11 DE JANEIRO DE 2013 | AUSTRÁLIA

Temperaturas altíssimas nunca antes registradas provocaram incêndios na ilha-estado australiana da Tasmânia. Esses incêndios arrasaram o vilarejo de Dunalley . . . Veja mais . . . 


 

deslizamento

Na primeira semana de janeiro, fortes chuvas causaram enchentes e deslizamentos de terra no Estado do Rio de Janeiro, Brasil, deixando mais de 3 mil desabrigados. As Testemunhas de Jeová relatam que . . . Leia mais

 


 



Total de visitas: 389003
Corpo governante
Corpo governante

Leais a Cristo e a seu escravo fiel

“Seu amo . . . o designará sobre todos os seus bens.” — MATEUS 24:45-47.

VOCÊS não devem também ser chamados de ‘líderes’ porque vocês têm um líder, o Messias [Cristo].” (Mateus 23:10Bíblia na Linguagem de Hoje) Com essas palavras, Jesus deixou claro a seus seguidores que nenhum homem na Terra seria líder deles. Seu único líder seria alguém no céu — o próprio Jesus Cristo. Foi Deus quem designou Jesus para essa posição. Jeová “o levantou dentre os mortos e . . . o fez cabeça sobre todas as coisas para a congregação, a qual é o seu corpo”. — Efésios 1:20-23.

Visto que Cristo é “cabeça sobre todas as coisas” no que se refere à congregação cristã, ele tem autoridade sobre tudo o que acontece nela. Nada lhe passa despercebido. Ele olha de perto a condição espiritual de cada grupo de cristãos, ou congregação. Isso fica bem claro na revelação dada ao apóstolo João, no fim do primeiro século EC. Jesus declarou cinco vezes às sete congregações que ele conhecia suas ações, seus pontos fortes e suas fraquezas, e deu conselhos e incentivo apropriados. (Revelação [Apocalipse] 2:2, 9, 13, 19; 3:1, 8, 15) Temos todos os motivos para crer que Cristo também conhecia a condição espiritual das outras congregações na Ásia Menor, Palestina, Síria, Babilônia, Grécia, Itália e em outros lugares. (Atos 1:8) O que dizer de hoje?

 
 

Um escravo fiel

Depois de sua ressurreição e pouco antes de subir aos céus para junto de seu Pai, Jesus disse a seus discípulos: “Foi-me dada toda a autoridade no céu e na terra.” Ele também disse: “Eis que estou convosco todos os dias, até à terminação do sistema de coisas.” (Mateus 28:18-20) Jesus continuaria com eles, atuando como Cabeça. Nas cartas aos cristãos em Éfeso e Colossos, o apóstolo Paulo comparou a congregação cristã a um “corpo”, do qual Cristo é a “cabeça”. (Efésios 1:22, 23; Colossenses 1:18The Cambridge Bible for Schools and Colleges (Bíblia de Cambridge para Escolas e Faculdades) declara que essa metáfora “sugere não apenas uma união vital com a cabeça, mas que, por meio dos membros, a cabeça realiza sua vontade. Eles são seusinstrumentos”. Quem Jesus usa como instrumento coletivo desde que se tornou Rei, em 1914? — Daniel 7:13, 14.

A profecia de Malaquias predisse que Jeová, “o verdadeiro Senhor”, acompanhado pelo “mensageiro do pacto”, seu recém-entronizado Filho, Cristo Jesus, viria como Juiz para inspecionar Seu “templo”, ou casa espiritual de adoração. Tudo indica que “o tempo designado” para o início do ‘julgamento da casa de Deus’ chegou em 1918.* (Malaquias 3:1; 1 Pedro 4:17) Os que afirmavam representar a Deus e a sua adoração verdadeira na Terra foram devidamente inspecionados. As igrejas da cristandade, que por séculos ensinaram doutrinas que desonram a Deus e que tiveram uma grande participação no massacre da Primeira Guerra Mundial, foram rejeitadas. Um fiel restante de cristãos ungidos por espírito foram provados, refinados como que por fogo e aprovados, tornando-se para Jeová “pessoas que apresentam uma oferenda em justiça”. — Malaquias 3:3.

Em harmonia com a profecia de Malaquias, o sinal composto que Jesus deu a seus discípulos, para que reconhecessem o tempo de sua “presença e da terminação do sistema de coisas”, incluía a identificação de um “escravo” coletivo. Jesus disse: “Quem é realmente o escravo fiel e discreto a quem o seu amo designou sobre os seus domésticos, para dar-lhes o seu alimento no tempo apropriado? Feliz aquele escravo, se o seu amo, ao chegar, o achar fazendo assim! Deveras, eu vos digo: Ele o designará sobre todos os seus bens.” (Mateus 24:3, 45-47) “Ao chegar” para inspecionar o “escravo” em 1918, Cristo encontrou um restante de fiéis discípulos, ungidos pelo espírito, que desde 1879 usava esta revista e outras publicações baseadas na Bíblia para fornecer “alimento [espiritual] no tempo apropriado”. Ele os reconheceu como seu instrumento coletivo, ou “escravo”, e, em 1919, confiou-lhes a administração de todos os seus bens na Terra.

A administração dos bens de Cristo na Terra

Alguns meses antes de Jesus fazer a profecia sobre o sinal da sua presença, que menciona a existência de um “escravo” que o representaria na Terra, ele falou desse “escravo” usando termos um pouco diferentes. Esses termos esclarecem as responsabilidades do escravo. Jesus disse: “Quem é realmente o mordomo fiel, o discreto, a quem o seu amo há de designar sobre todo o corpo de assistentes, para que lhes dê a sua medida de mantimentos no tempo devido? Eu vos digo verazmente: Ele o designará sobre todos os seus bens.” — Lucas 12:42, 44.

O escravo aqui é chamado de mordomo, uma palavra que traduz um termo grego que significa “administrador de uma casa ou propriedade”. O mordomo coletivo não seria simplesmente um grupo de intelectuais que explicariam pontos interessantes da Bíblia. Além de fornecer alimento espiritual nutritivo “no tempo devido”, “o mordomo fiel” seria designado sobre o inteiro corpo de assistentes de Cristo e comissionado para administrar “todos os seus bens”, ou seja, todos os interesses dele na Terra. O que estaria envolvido nisso?

As responsabilidades do escravo incluem a supervisão das instalações usadas pelos seguidores de Cristo para realizar suas atividades cristãs. Essas instalações incluem a sede mundial e as congêneres das Testemunhas de Jeová, bem como seus locais de adoração — Salões do Reino e Salões de Assembléias — no mundo todo. Mais importante, o escravo também supervisiona a preparação de programas espiritualmente edificantes de estudo da Bíblia apresentados nas reuniões semanais e em assembléias e congressos periódicos. Nessas ocasiões são dadas informações sobre o cumprimento de profecias bíblicas e também orientações oportunas de como aplicar princípios bíblicos na vida diária.

Entre as responsabilidades do mordomo está a supervisão da obra toda-importante de pregar as “boas novas do reino” e fazer “discípulos de pessoas de todas as nações”. Isso envolve ensinar as pessoas a observar todas as coisas que Cristo, o Cabeça da congregação, ordena que sejam feitas neste tempo do fim. (Mateus 24:14; 28:19, 20; Revelação 12:17) A obra de pregar e ensinar já produziu “uma grande multidão” de companheiros leais do restante ungido. Essas “coisas desejáveis de todas as nações” devem sem dúvida ser consideradas parte dos valiosos “bens” de Cristo administrados pelo escravo fiel. — Revelação 7:9; Ageu 2:7.

O Corpo Governante  representante do “escravo”

As pesadas responsabilidades do escravo fiel obviamente envolveriam tomar muitas decisões. Na congregação cristã do primeiro século, os apóstolos e anciãos em Jerusalém representavam o escravo, tomando decisões para a inteira congregação cristã. (Atos 15:1, 2) As decisões tomadas por esse corpo governante do primeiro século eram transmitidas às congregações por meio de cartas e representantes viajantes. Os primeiros cristãos ficavam felizes de receber essas orientações claras, e sua pronta cooperação com o corpo governante promovia paz e união. — Atos 15:22-31; 16:4, 5; Filipenses 2:2.

Assim como naquela época, hoje um pequeno grupo de superintendentes ungidos pelo espírito compõe o Corpo Governante dos seguidores de Cristo na Terra. Por meio de sua “mão direita” — seu poder em ação —, Cristo, o Cabeça da congregação, orienta esses homens fiéis à medida que supervisionam a obra do Reino. (Revelação 1:16, 20) Na sua biografia, Albert Schroeder, que serviu muitos anos no Corpo Governante e que recentemente terminou sua carreira terrestre, escreveu: “O Corpo Governante se reúne toda quarta-feira, abrindo a reunião com uma oração em que se pede a direção do espírito de Jeová. Faz-se real esforço para ver que todo assunto tratado e toda decisão tomada estejam em harmonia com a Palavra de Deus, a Bíblia.”* Podemos confiar nesses fiéis cristãos ungidos. Pensando especialmente neles, devemos acatar a ordem do apóstolo Paulo: “Sede obedientes aos que tomam a dianteira entre vós e sede submissos, pois vigiam sobre as vossas almas.” — Hebreus 13:17.

Mostrar o devido respeito pelo escravo fiel

Um motivo básico para mostrarmos o devido respeito pela classe do escravo fiel é que, fazendo assim, estamos na realidade mostrando respeito pelo Amo, Jesus Cristo. Paulo escreveu sobre os ungidos: “Aquele que foi chamado quando era liberto, é escravo de Cristo. Vós fostes comprados por um preço.” (1 Coríntios 7:22, 23; Efésios 6:6) Portanto, quando nos submetemos lealmente às orientações do escravo fiel e seu CorpoGovernante, estamos nos submetendo a Cristo, o Amo do escravo. Mostrarmos o devido respeito pelo instrumento que Cristo usa para administrar seus bens na Terra é uma maneira de ‘reconhecermos abertamente que Jesus Cristo é Senhor, para a glória de Deus, o Pai’. — Filipenses 2:11.

Outro motivo bíblico para mostrarmos respeito pelo escravo fiel é que os cristãos ungidos na Terra são figurativamente descritos na Bíblia como um “templo” onde Jeová habita “por espírito”. Por isso, eles são ‘santos’. (1 Coríntios 3:16, 17; Efésios 2:19-22) É a essa classe santa do templo que Jesus confiou seus bens terrestres, o que significa que certos direitos e responsabilidades dentro da congregação cristã cabem exclusivamente a esse escravo coletivo. Por essa razão, todos na congregação encaram como dever sagrado seguir e apoiar as orientações vindas do escravo fiel e de seu CorpoGovernante. De fato, as “outras ovelhas” consideram um verdadeiro privilégio ajudar a classe do escravo a cuidar dos interesses do Amo. — João 10:16.

Dar apoio leal

A submissão humilde das outras ovelhas aos membros ungidos do Israel espiritual foi predita na profecia de Isaías: “Assim disse Jeová: ‘Os próprios labutadores não remunerados do Egito, e os mercadores da Etiópia, e os sabeus, homens altos, virão a ti e se tornarão teus. Andarão atrás de ti; virão em grilhões e se curvarão diante de ti. Orarão a ti, dizendo: “Deveras, Deus está em união contigo, e não há outro; não há outro Deus.”’” (Isaías 45:14) De modo simbólico, as outras ovelhas hoje andam atrás da classe ungida do escravo e de seu Corpo Governante, seguindo sua liderança. Como “labutadores não remunerados”, as outras ovelhas de bom grado usam sua energia física e seus recursos para apoiar a obra mundial de pregação que Cristo designou a seus seguidores ungidos na Terra. — Atos 1:8; Revelação 12:17.

As outras ovelhas sentem-se felizes e gratas de servir a Jeová sob a supervisão da classe do escravo e de seu Corpo Governante. Elas reconhecem que os ungidos são membros do “Israel de Deus”. (Gálatas 6:16) Como “estranhos” e “estrangeiros” simbólicos, associados ao Israel espiritual, servem alegremente como “lavradores” e “vinhateiros” sob a supervisão dos ungidos, os “sacerdotes de Jeová” e ‘ministros de Deus’. (Isaías 61:5, 6) Elas participam zelosamente na pregação das boas novas do Reino e em fazer discípulos de pessoas de todas as nações. Dão total apoio à classe do escravo em pastorear e nutrir pessoas recém-encontradas semelhantes a ovelhas.

As outras ovelhas reconhecem que foram muito beneficiadas pelos esforços incansáveis do escravo fiel em fornecer-lhes alimento espiritual oportuno. Reconhecem humildemente que, se não fosse o escravo fiel e discreto, elas saberiam pouco ou nada sobre verdades bíblicas valiosas, como a soberania de Jeová, a santificação do seu nome, o Reino, os novos céus e a nova terra, a alma, a condição dos mortos e a verdadeira identidade de Jeová, de seu Filho e do espírito santo. Cheias de gratidão e lealdade, as outras ovelhas apóiam amorosamente os “irmãos” ungidos de Cristo na Terra durante este tempo do fim. — Mateus 25:40.

Por estarem diminuindo em número, os ungidos não podem estar presentes em todas as congregações para administrar diretamente os bens de Cristo. Por isso, oCorpo Governante designa homens das outras ovelhas para posições de supervisão nas congêneres, nos distritos, nos circuitos e nas congregações das Testemunhas de Jeová. 

Voltar para a Home